UFMS ocupa o 7º lugar do Brasil em ranking de desenvolvimento sustentável

De 1.406 universidades avaliadas no mundo, UFMS está na faixa de 301-400

CORREIO DO ESTADO / NAIARA CAMARGO


UFMS está entre as melhores universidades do mundo - Álvaro Rezende

A Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) está na 7ª posição de 48 instituições brasileiras em ranking de impacto de desenvolvimento sustentável, de acordo com a Times Higher Education .

A UFMS ficou na faixa das 301-400 de 1.406 instituições. 

A universidade recebeu pontuação nos indicadores de Qualidade na Educação, Igualdade de Gênero e Trabalho e Crescimento Econômico. 

O ranking de desenvolvimento sustentável se baseia em indicadores de Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU). O objetivo é promover ações de sustentabilidade para o meio ambiente. 

Projetos de ensino, pesquisa, extensão, empreendedorismo e inovação da universidade são vinculados a pelo menos um ODS, o que deixa a UFMS em posição de destaque nacional. 

De acordo com o reitor da instituição, Marcelo Turine, a UFMS está cada vez mais comprometida com o meio ambiente. 

“A cada ano estamos mais conscientes sobre a sustentabilidade, a inovação e o respeito com os recursos naturais e às pessoas. Então, é uma alegria receber essa certificação, mas não é uma surpresa porque todos nós estamos trabalhando para diariamente para melhorar cada vez mais o nosso ambiente'.

De acordo com a THE, a UFMS foi apontada pela sexta vez consecutiva como uma das melhores universidades do mundo.

Conforme noticiado pelo Correio do Estado, a UFMS ocupa a 1.149ª posição em ranking internacional entre melhores universidades do mundo, de acordo com o Center for World University Rankings (CWRU) – em português, Centro de Rankings Universitários Mundiais.

Em ranking nacional, a universidade ocupa o 27º lugar entre as melhores universidades do Brasil e 20º lugar entre as melhores universidades federais.

De acordo com a diretora de Avaliação Institucional, Caroline Pauletto Spanhol Finocchio, o ranking é um dos principais avaliadores do mundo. 

“Para nós é muito importante estar entre as melhores do mundo, isso sinaliza para toda a comunidade os avanços que a universidade tem obtido ao longo dos anos'.

Escândalo

O preço da refeição no Restaurante Universitário (RU), para estudantes com renda familiar de até 1,5 salário mínimo, passou de R$2,50 para R$3,00. Para os demais estudantes, passou de R$4,50 para R$15,00. 

Conforme noticiado pelo Correio do Estado , os estudantes protestaram contra os novos valores do restaurante. 

Alunos da UFMS também são proibidos de comerem marmita própria no restaurante da universidade. 

A universidade emitiu um comunicado dizendo que é “proibido comer marmita' no restaurante universitário, o que causou revolta entre os estudantes.