Duas empresas conseguem penhorar créditos do Corinthians com a Globo


Duas empresas conseguiram recentemente na Justiça penhorar eventuais receitas que o Corinthians tenha para receber da Globo. Uma delas obteve ainda o mesmo direito em relação a patrocinadores do clube e à CBF Nos dois casos, o dinheiro encontrado nas contas do Alvinegro foi insuficiente para quitar as dívidas cobradas judicialmente.

Decisão publicada no site do Tribunal de Justiça de São Paulo na última quarta (7) é favorável à Forward Team, empresa do ex-agente de Claudinho, Giuseppe Dioguardi. Foi deferida "a penhora de eventual crédito em favor do executado junto à empresa Globo Comunicação e Participações S/A e empresas afiliadas, até o limite do débito (R$ 375.535,00, atualizado até maio/2021". A empresa cobra valores referentes aos direitos de imagem de Claudinho, que hoje defende o Red Bull Bragantino.

Na última terça (6), o site do Tribunal de Justiça publicou decisão semelhante em favor da GT Sports Assessoria Esportiva, que cobra cerca de R$ 1,4 milhão referente a 15% da transferência de Matheus Pereira para o Empoli, da Itália, Nesse caso, porém, também foram atingidos possíveis valores que o clube tenha para receber de patrocinadores. Foi deferida a penhora de créditos no valor de até R$ 1.418.197,78 que o Corinthians tenha para receber relativos a contratos com Globo, Nike, BMG e Midea. A medida também vale para possíveis valores que a CBF tenha para transferir ao Alvinegro. A mesma decisão informa que foram penhorados R$ 97.519,59 das contas do clube. Esse foi o valor  encontrado pela Justiça, que buscava cerca de R$ 1,4 milhão, quantia correspondente à totalidade do débito. Já a empresa de Dioguardi teve menos sorte. Em seu caso, a Justiça encontrou nas contas corintianas e penhorou R$ 2.326,75.