CPI da Covid: Renan aponta 8 contradições em depoimento de Osmar Terra


O relator da CPI da Covid, senador Renan Calheiros (MDB-AL), apontou oito contradições no depoimento do médico e deputado federal Osmar Terra (MDB-RS). O parlamentar é acusado de ser um dos líderes do suposto "gabinete paralelo" de aconselhamento ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sobre o enfrentamento à pandemia. Entre a contradições apontadas pelo relator estão declarações do deputado sobre imunidade de rebanho, lockdown e orientações que seriam dadas ao ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello e ao presidente Bolsonaro.

Veja abaixo às oito contradições de Osmar Terra apontadas por Renan Calheiros:

 

1 - 'Exemplo' da Suécia .

Testemunho de Terra: "Os países que não fecharam, como a Suécia, Coreia, Japão, praticamente não tiveram mortes de crianças, tiveram muito pouco dano para as crianças. E nós estamos... O Brasil é recordista mundial de tempo sem aula presencial". "Verdade dos fatos", segundo Renan: "Na Suécia, os números de casos e mortes dispararam sem distanciamento social, houve inclusive uma CPI e caíram o primeiro-ministro e todo o gabinete de combate à pandemia".

2 - Reinfecção pelo coronavírus

Testemunho de Terra: "A reinfecção é muito limitada, é muito rara. Tem, mas é rara; é zero vírgula alguma coisa por cento. Isso significa que quem se infectou não se infecta de novo". "Verdade dos fatos", segundo Renan: "A taxa de reinfecção é de 31%, segundo o Cadde (Centro Brasil Reino Unido para Descoberta Genômica e Epidemiologia de Arbovirus)".

3 - Orientações para Pazuello

Testemunho de Terra: "Não tem orientação nisso, senador. É uma constatação só (...) Eu simplesmente citei, posso ter citado numa conversa isso". "Verdade dos fatos", segundo Renan: "O ex-ministro Pazuello afirmou categoricamente à CPI, sob juramento, que tratou com o depoente Osmar Terra sobre imunidade de rebanho e recebeu orientações e recomendações".

4 - Imunidade de rebanho em Manaus

Testemunho de Terra: "Isso aqui é Amazonas [mostra um gráfico no papel]. Tem um pico, reduz, fica zero, seis meses... Isso significa que, de alguma maneira, tem uma imunidade aqui na população. As aulas reabrem, o comércio reabre e tal". "Verdade dos fatos", segundo Renan: "Em Manaus nunca se constatou imunidade de rebanho".

5 - Taxa de infecção no Reino Unido

Testemunho de Terra: "Olhem a Inglaterra, o Reino Unido: a mesma coisa. Esse vírus tem uma capacidade de desenvolver isso, e o segundo pico é maior que o primeiro, como foi em Manaus, como é no Brasil". "Verdade dos fatos", segundo Renan: "No Reino Unido houve quarentena, medidas não farmacológicas e ainda, ampla vacinação".

6 - Reuniões do 'gabinete paralelo'

Testemunho de Terra: "Essa foi a única reunião de que eu participei. Inclusive, com o doutor Paolo Zanotto, que é uma pessoa, é um virologista respeitado no país, foi a primeira e única vez que eu conversei com ele, porque ele estava sentado do meu lado ali".

7 - Lockdown

Testemunho de Terra: "Nos países, em um ano de pandemia, foram feitos 32 trabalhos, publicados durante o ano, e, no final do ano, comparando países que não fecharam, como a Coreia, Japão e Suécia, com países que fecharam, estão mostrando que não tem nenhum impacto fazer o lockdown, a quarentena".

"Verdade dos fatos", segundo Renan: "Todos os países que aplicaram lockdown rígido controlaram substancialmente o contágio direto e as subnotificações". Estudos publicados em revistas científicas de prestígio atestam que medidas de distanciamento e isolamento social funcionam para conter o vírus, entre elas o lockdown, que é a medida mais restritiva de isolamento.

8 - Imunidade de rebanho

Testemunho de Terra: "Eu não defendo imunidade de rebanho. Imunidade de rebanho é o resultado de todas as pandemias, publicado em qualquer livro de epidemiologia". "Verdade dos fatos", segundo Renan: Foram reproduzidos vários vídeos, com declarações do depoente em favor da imunidade de rebanho e contra a vacinação.

A imunidade de rebanho se sustenta na ideia de que é possível atingir um ponto em que há uma quantidade suficiente de pessoas em determinada população que sejam imunes ao vírus, interrompendo assim a transmissão comunitária. No entanto, após mais de um ano de pandemia, a comunidade científica não sabe precisar a proporção da população que deve estar imunizada para que isso de fato aconteça. Cientistas defendem que o caminho da imunidade coletiva é a vacinação, e não a contaminação.