Partida do campeonato estadual de MS acaba em tiroteio

Partida do Estadual foi marcada por confusão entre jogadores e policiais - CREDITO: CAMPO GRANDE NEWS

MIDIAMAX


Súmula da partida entre Aquidauanense e Águia Negra pelo Campeonato Estadual de Futebol, marcada por confusão, confirma tiro disparado dentro do gramado e que os policiais militares foram chamados de “vagabundos” pelos jogadores. O documento é assinado pelo árbitro Paulo Henrique Vollkopf.

O árbitro aponta que o zagueiro Virgulino, do Águia Negra, ofendeu o policiamento dentro de campo dizendo que “vocês são despreparados, seus covardes, vagabundos”. 

Também relatou que a intervenção da PM foi necessária após confusão entre os bancos de reserva dos dois times e que os jogadores do Águia Negra ameaçaram deixar o jogo alegando “força desproporcional”. 

Além do tiro dentro do gramado, as imagens da transmissão da partida mostram o policial militar armado correndo atrás de jogadores do Águia Negra.

Em nota, a PM respondeu que foi necessária intervenção “para encerrar o tumulto e evitar mal maior, sendo utilizados equipamentos e munições não letais”. A nota termina informando que três pessoas, sendo dois atletas e o técnico Rodrigo Cascca, foram levadas para a delegacia.

O Campo Grande News tentou contato com a o delegado-adjunto de Aquidauana, Gabriel Salles, o coordenador de competições da Federação Estadual de Futebol, Marcos Tavares, e o presidente do Águia Negra, Iliê Vidal, mas ninguém foi localizado.

Dentro de campo a partida terminou com vitória do Aquidauanense por 3 a 1, resultado que eliminou o Águia Negra, atual bicampeão, do Estadual, somada a vitória do Operário sobre o Novo por 3 a 0, em Campo Grande.

Pelo grupo A estão classificados para o hexagonal final Dourados, Aquidauanense e Operário. Pelo grupo B estão garantidos Costa Rica e Comercial. O União ABC pode confirmar a terceira vaga nesta sexta-feira (16) se vencer o Três Lagoas, no Morenão, a partir das 15h. Em caso de tropeço terá confronto direto diante do Chapadão no domingo. 

confira o vídeo aqui