Com aplausos, Batayporã dá último adeus à ex-primeira-dama Maria Suely

O corpo da ex-primeira-dama foi sepultado no final da manhã desta quarta-feira (17) no cemitério local


 

Nesta quarta-feira (17), ocorreu o velório e sepultamento da ex-primeira-dama de Batayporã, Maria Suely Pereira de Souza, esposa do ex-prefeito e ex-deputado estadual, Jercé Eusébio de Souza. O momento contou com esquema de distanciamento social e demais normas sanitárias de prevenção ao novo Coronavírus e foi acompanhado por familiares, amigos e admiradores de dona Suely, como era conhecida.

 

Desde o dia 15 de janeiro, Maria Suely foi notificada como positivo para Covid-19. A mesma chegou a passar por internação no Hospital Regional Francisco Dantas Maniçoba, em Nova Andradina, e foi transferida para continuidade do tratamento em Campo Grande, onde não resistiu às complicações e veio a óbito.

 

Acrescida até mesmo de visitantes, a população de Batayporã se despediu de dona Suely com aplausos. “Vá com Deus, dona Suely. Obrigada por tudo que fez por nossa cidade”, gritou uma moradora. A homenagem foi significativa e de alento para a família, que atualmente acompanha o restabelecimento de Jercé Souza, que também enfrentou a doença no mesmo período que a esposa e segue realizando fisioterapia respiratória.

 

Trajetória em prol do próximo

 

As homenagens puderam ser conferidas em jornais, redes sociais e até mesmo no Poder Executivo, que decretou luto oficial de três dias. Segundo o prefeito Germino Roz, o legado de Maria Suely na área social é sólido e perpassa gerações. “Reconhecemos sua atuação pelo bem dos menos favorecidos e somos gratos”, afirmou.

 

A ex-primeira-dama completaria 66 anos em 17 de agosto e deixa três filhos e três netos. Dona Suely teve papel fundamental no desempenho de políticas públicas na Assistência Social, com o trabalho em prol de idosos, jovens e crianças quando atuou na Secretaria Municipal. Sua colaboração também foi contínua em projetos e entidades filantrópicas durante seu período como primeira-dama, entre 1988 e 1992 e 2001 e 2008.