Mortos ‘empacotados’ trabalhavam em lavoura de maconha no Paraguai

MIDIAMAX


Os dois homens encontrados ‘empacotados’ em Aral Moreira, cidade a 371 quilômetros de Campo Grande, nesta segunda-feira (15) teriam envolvimento com o tráfico de drogas, segundo informações apuradas pelo Jornal Midiamax. Um dos mortos tinha várias passagens pela polícia.

 

Os paraguaios Felipe Ribas Ojeda de 28 anos e Marcos Sanchelaridi de 27 anos trabalhavam em plantações de maconha no Paraguai. Um deles tinha deixado a penitenciária a pouco tempo. Em uma das fotos obtidas pelo jornal, Marcos é visto em meio a uma plantação da droga e na outra foto, Felipe é visto em um acampamento usado por traficantes.

 

Os dois foram encontrados ‘empacotados’ em uma estrada de terra. Um deles tinha um saco plástico na cabeça e as vítimas teriam sido torturadas antes de serem assassinadas. Segundo a polícia, nas imediações, não foi encontrada nenhuma pista, ou pessoa que pudesse ajudar a elucidar os crimes.

 

O crime é investigado e não há informações se os dois teriam envolvimento com facção criminosa.