Atacantes de lado não vingam, e Vasco sofre para encontrar parceiro ideal para Cano

Talles, Marrony, Vinícius, Parede, Gustavo Torres, Catatau e Gabriel Pec foram testados desde o início da temporada, mas nenhum conseguiu se firmar. Contra o Fortaleza, setor pode ter novidade

GLOBOESPORTE.COM / FRED GOMES, HECTOR WERLANG E MARCELO BALTAR


Quatro técnicos, 22 formações diferentes e o mesmo problema: a dificuldade ofensiva do Vasco no Brasileirão. Se Cano é titular absoluto, o mesmo não se pode dizer de seus colegas de setor. O problema é antigo e vem desde antes da competição. Ao longo de toda temporada, desde o início do Campeonato Carioca, com Abel Braga, os atacantes de lado vêm tendo dificuldades. Vários foram testados. Nenhum, até agora, vingou.

Talles Magno foi de longe quem mais teve oportunidades. Foi titular com Abel, Ramon, Sá Pinto e Luxemburgo. Destaque em 2019, ainda não conseguiu repetir o nível de atuações de sua temporada de estreia. Na atual, por exemplo, participou de 45 jogos. Deu seis assistências e marcou três gols. Na semana passada, no entanto, perdeu a posição antes do clássico contra o Flamengo.

A lista de atacantes testados não se resume a Talles e é longa. Além dele, Marrony, Vinícius, Guilherme Parede, Gustavo Torres, Ygor Catatau e Gabriel Pec receberam oportunidades em algum momento da temporada. Marrony, que não vinha de boas atuações, foi negociado com Atlético-MG, em junho. Os outros também não conseguiram se firmar.

E é neste cenário, com o transtorno de suspensões, má fase de algumas peças e em busca da melhor opção, que Vanderlei Luxemburgo prepara o time que enfrentará o Fortaleza, quarta-feira, no Ceará, em um confronto direto contra o rebaixamento. Detalhe: faltando quatro rodadas para o término da competição e da temporada.

Ygor Catatau, usado no segundo tempo do clássico contra o Flamengo, foi testado e tem chance de começar como titular. Talles, longe de lembrar o que o alçou a promessa, continua no banco de reservas.

Antes de Luxa, no Brasileirão, os técnicos Ramon Menezes e Ricardo Sá Pinto e o interino Alexandre Grasseli penaram para achar uma formação ideal. Não à toa, com 34 gols marcados, o time tem apenas o 15º ataque mais positivo.

Cano, com 13 gols, é o artilheiro do time na competição. Ele concentra 38% dos gols do time.

Formações usadas por Ramon Menezes (13 jogos)

Vinícus, Cano e Talles (4-3-3): três jogosTalles e Cano (4-4-2): três jogosGabriel Pec, Cano e Talles (4-3-3): dois jogosCatatau, Cano e Talles (4-3-3): dois jogosParede, Cano e Talles (4-3-3): um jogoBenítez, Cano e Catatau (4-3-3): um jogoRibamar, Cano e Talles (4-3-3): um jogo

Formações usadas por Alexandre Grasseli (dois jogos)

Talles e Cano (4-4-2): dois jogos

Formações usadas por Ricardo Sá Pinto (11 jogos)

Talles e Cano (35-2 e 4-4-2): dois jogosVinícius, Ribamar e Talles (4-3-3): dois jogosBenítez, Cano e Talles (3-4-3): um jogoVinícius, Cano e Gustavo Torres (3-4-3): dois jogosVinícius e Cano (4-4-2): um jogoRibamar (3-6-1): um jogoGustavo Torres (3-6-1): um jogoCano (4-5-1): um jogo

Formações usadas por Vanderlei Luxemburgo (oito jogos)

Pikachu, Cano e Talles (4-3-3): seis jogosPikachu, Cano e Gabriel Pec (4-3-3): um jogoTalles e Cano (4-4-2): um jogo

Seja Sócio Gigante agora!